O jogo interior do tênis - Blog do João Ricardo

Publicado em: 10/08/2018 às 08h22

Gazeta Esportiva

O tênis é, sem dúvida, um dos esportes que mais exige preparação e equilíbrio mental. Entrar numa quadra para disputar uma partida demanda foco, atenção, diálogo interior (monólogo) positivo, tomada de decisão, antecipação e atitude (tomada de iniciativa).
 
No emaranhado emocional gerado, quase sempre, por dificuldades de gerenciamento da concentração – tenistas sofrem com a baixa produtividade na tradução cognitiva de emoções que dificultam a manutenção da alta performance. Entre elas, a ansiedade.
 
Fonte de ativação mental, a ansiedade deve ser bem canalizada para que seja um combustível de rendimento e qualidade antes e durante as partidas.
 
A má condução (e interpretação interna) da ansiedade dentro de quadra provoca uma cascata de pensamentos caóticos que multiplica as adversidades e a força do oponente.
 
O treinamento mental no tênis – através de técnicas modernas e efetivas para o equilíbrio psicoemocional dos atletas – é realizado com sucesso nos laboratórios mais capacitados de Psicologia do Esporte no Brasil e no mundo.
 
Aqui em São Paulo, a Associação Paulista da Psicologia do Esporte e o Laboratório de Psicossociologia do Esporte da USP atuam dentro de normas tecnológicas e atuais no trabalho psicológico com tenistas e atletas de diversas modalidades. Biofeedback e neurofeedback são instrumentos amplamente utilizados por tenistas que figuram no top 100 do ranking da ATP e que auxiliam na blindagem cognitiva – concentração e equilíbrio psicofisiológico dos atletas nos constantes desafios na carreira.
 
Encarar – com seriedade e comprometimento – as demandas psicológicas e emocionais é, sem dúvida, um passo fundamental na direção da plenitude da performance e manutenção na zona ótima de rendimento.