Brasil promove proteína halal na Sial Paris

As entidades realizam no próximo dia 23 de outubro, durante a edição 2018 da Sial Paris, o Halal Day, um dia dedicado à promoção das carnes halal brasileiras na mostra

Publicado em: 11/10/2018 às 08h40

Portal do Agronegócio

Foto: A4&Holofote

Uma iniciativa conjunta da Câmara de Comércio Árabe-Brasileira (CCAB), da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), da Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes (Abiec) e da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) vai destacar a proteína halal brasileira, aquela produzida segundo as determinações da religião islâmica, na principal feira de alimentos da Europa.

As entidades realizam no próximo dia 23 de outubro, durante a edição 2018 da Sial Paris, o Halal Day, um dia dedicado à promoção das carnes halal brasileiras na mostra. No estande conjunto das entidades, os visitantes poderão saborear um churrasco feito com cortes bovinos e de aves produzidos para a comercialização em mercados islâmicos.

Embora seja realizada a cada dois anos em Paris, a Sial também atrai compradores de países muçulmanos, principalmente nações árabes do Norte da África e da região do Magreb, antigas regiões de colonização francesa, que até hoje mantém fortes laços econômicos com a França. "Trata-se de uma oportunidade para um primeiro contato com varejistas e distribuidores de alimentos que ainda não conhecem o produto halal brasileiro", afirma a executiva de negócios da Câmara Árabe Fernanda Baltazar.

Ela conta que esta é a terceira vez que a Câmara Árabe realiza o Halal Day em parceria com entidades exportadoras de proteínas animais. A primeira foi na própria Sial Paris, em 2016. Ano passado, foi na feira alemã Anuga. Na ocasião, quase uma tonelada de cortes bovinos halal foi servida como churrasco aos visitantes. Além disso, houve mais de 150 reuniões de negócios entre representantes de frigoríficos, traders, distribuidores e varejistas em visita à feira.

Em 2018, a novidade na Sial é a parceria com a Associação Brasileira de Proteína Animal. À feira, a entidade vai levar representantes de dezenas de frigoríficos, boa parte deles já com clientes no mundo árabe. A associação também fornecerá cortes de aves de valor agregado e aves inteiras de tamanho menor que as comercializadas no Brasil, a preferência do consumidor árabe, para o churrasco de degustação do Halal Day.

Também estão previstas reuniões com potenciais compradores. "Queremos demonstrar a importância dos mercados árabes para as exportações de proteínas brasileiras. Será uma ocasião em que vamos atingir um público importante da feira, que é do varejista e do distribuidor de alimentos que trabalha especificamente com produtos halal", explica Baltazar.

Além de compradores de países árabes populosos do Norte da África, a Sial também recebe distribuidores e varejistas que atuam em países europeus com grandes comunidades muçulmanas, boa parte delas, originária de nações árabes. Estima-se que a França tenha 3,5 milhões de muçulmanos. Um montante similar de consumidores de produtos halal também existe na Grã Bretanha e na Alemanha.

O Brasil é o líder mundial na produção e na exportação de proteínas animais halal. Em 2017, só as exportações de derivados de bovinos e de aves para os países da Liga Árabe totalizaram US$ 3,5 bilhões. Desse total, US$ 2,6 bilhões corresponderam a produtos avícolas. Os principais compradores foram Arábia Saudita, Emirados Árabes, Egito e Argélia.

Sobre o Brazilian Beef

Iniciado em 2001, o projeto setorial Brazilian Beef, uma parceria entre Apex-Brasil e ABIEC, tem o objetivo de fortalecer a imagem da carne bovina brasileira, melhorando a percepção de sua qualidade nos países importadores e ampliando, assim, a participação brasileira no mercado mundial de carnes. Em 16 anos, já foram firmados nove projetos, com investimentos de mais de R$ 58 milhões e crescimento das exportações em mais de 470%.