Ex-homossexual conta testemunho de conversão: O verdadeiro amor de Deus me encontrou

Publicado em: 16/11/2018 às 19h00

Gospel +

A raiz da orientação sexual homossexual é diferente para cada pessoa que se identifica como gay. Diversos testemunhos de ex-homossexuais comprovam essa realidade, indicando que a mudança de comportamento e até mesmo atração sexual é plenamente possível quando há, principalmente, a compreensão de como se forma a sexualidade humana.

Jason passou por esse processo. Com apenas 27 anos e atualmente conhecido como “Yolt”, que significa “você só vive duas vezes”, ele precisou passar por uma experiência traumática em sua vida para conseguir analisar criticamente às raízes dos seus desejos sexuais, o que até então lhe fazia achar que era algo natural da sua identidade.

 

“Tudo começou quando eu tinha quatorze anos e tropecei em algum pornô gay e fiquei curioso, fascinado e, eventualmente, viciado”, disse ele, lembrando que “só gostava de garotas antes”.

“Fiquei confuso com a crescente atração por homens, e lembro-me do meu diário que dizia: ‘Ah, droga, acho que estou me tornando gay. Espero que não seja pior. Vou parar em breve, espero”, conta o rapaz em um vídeo publicado pouco depois do lançamento do seu livro, If You Only Live Twice (Você Só Vive Duas Vezes).

Na beira da morte

O testemunho de Yolt veio a público após ele sofrer um acidente de moto que lhe deixou na beira da morte.

 

Ele estava viajando pelo Camboja e Vietnã, quando caiu. Posteriormente ficou internado em um hospital em condições precárias, por dez dias. Os médicos já haviam lhe dado diagnóstico de morte, quando sua família o encontrou e finalmente lhe transferiu do lugar.

O sofrimento fez com que Yolt refletisse melhor suas atitudes e resolvesse procurar uma igreja. Inicialmente ele pensou que seria discriminado, mas logo percebeu que o acolhimento e amor de Cristo mudaria sua vida.

“Foi quando me senti aceito, quando soube que o desígnio de Deus para a família é onde eu pertenço. Eu vi a beleza do homem e da mulher no casamento, em como eles se complementavam, e isso me faz acreditar que é como deveria ser”, disse ele.

Sobre a atração homossexual, Yolt está consciente de que é um processo, algo que precisa continuar sendo trabalhado como qualquer outro pecado na vida de um cristão. “Eu posso não estar livre desses desejos pelo mesmo sexo ainda, mas esses desejos não me definem mais, já que o amor de Deus tomou conta da minha vida”, diz ele.