Dirigentes da Rede Federal debatem popularização da ciência e tecnologia

93ª Reunião Ordinária do Conif, colegiado composto por reitores de Institutos Federais de todo o país, foi encerrada nessa quinta-feira, 14, na reitoria do IFMS, em Campo Grande

Publicado em: 15/03/2019 às 14h42

Assessoria

Durante três dias, reitores de Institutos Federais e diretores de Centros Federais de Educação Tecnológica (Cefet) e do Colégio Pedro II participaram, em Campo Grande, da 93ª Reunião Ordinária do Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif). O encontro, que terminou nesta quinta-feira, 14, foi sediado na reitoria do Instituto Federal de Mato Grosso do Sul (IFMS).

Entre os temas que foram debatidos está a proposição de parcerias entre o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) e o Ministério da Educação (MEC) para ampliar a divulgação da ciência e da tecnologia.

O secretário de Empreendedorismo e Inovação do MCTIC, Paulo Alvim, apresentou aos dirigentes a proposta de se promover, anualmente, o IF Startup Day, evento nacional que reuniria modelos de negócios das 41 instituições que compõe a Rede Federal, atualmente com mais de 600 unidades espalhadas pelo Brasil.

"Seria o maior movimento de apoio a startups no país, o que daria visibilidade ao que os Institutos Federais têm feito no apoio à inovação e ao empreendedorismo. Temos indicadores de que essas instituições apresentam números significativos de pesquisadores, de projetos de pesquisas, de patentes, o que demonstra a força que têm", avaliou Alvim.

O presidente do Conif e reitor do Instituto Federal de Goiás (IFG), Jerônimo Rodrigues da Silva, lembra que a aproximação entre ministérios é um dos focos da atual gestão do Conselho.

“Durante o encontro com o MCTIC, surgiram várias proposições de interesse da Rede Federal para fomentar a inovação e o empreendedorismo. Em relação ao IF Startup Day, o assunto será tratado na próxima reunião do Fórum de Pró-Reitores de Pesquisa, Inovação e Pós-Graduação para que o evento comece a ser organizado”, explicou o presidente.

Os dirigentes se reuniram ainda com o diretor de Desenvolvimento da Rede Federal, ligado à Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (Setec/MEC), Rodrigo Alves da Silva, que – entre outros assuntos - fez dois anúncios.

“Foi retomado o grupo de trabalho que atua para institucionalizar o Programa Mulheres Mil, que oferta educação profissional a mulheres em situação de vulnerabilidade social, e está confirmada a liberação de recursos para que estudantes do ProfEPT, programa de pós-graduação oferecido pela Rede Federal, participem de evento anual”, anunciou o diretor.

O diretor da Setec e os dirigentes da Rede Federal trataram também sobre o Projeto de Lei (PL) nº 11.279/2019 encaminhado pelo MEC - no final de 2018, à Casa Civil da Presidência da República -, e que tem impactos na lei de criação dos Institutos Federais.

“O Conif fez um trabalho junto à Setec/MEC para que esse Projeto de Lei retorne ao Executivo, até para que a gente possa fazer uma discussão sobre o tema. Foi acatado e o ministro da Educação encaminhou à Casa Civil a solicitação do retorno desse PL, que altera percentuais de oferta de cursos e divide alguns Institutos Federais, entre outros pontos. É algo que precisa ser melhor discutido”, afirmou o presidente do Conif.

A programação da 93ª Reunião Ordinária incluiu ainda discussões acerca da edição 2019 da Reunião dos Dirigentes das Instituições Federais de Educação Profissional e Tecnológica (Reditec) e da etapa nacional dos Jogos dos Institutos Federais (JIF), além de relatos e encaminhamentos das câmaras de Ensino, Gestão de Pessoas e Relações Internacionais.

Os representantes da Setec visitaram o Campus Campo Grande para conhecer as salas modulares, que foram instaladas para ampliar o atendimento aos estudantes, e a usina de energia solar inaugurada em dezembro do ano passado.

Esta foi a segunda vez que o IFMS sediou a reunião do Conif. A primeira foi realizada em outubro de 2013.

Pesquisas – Durante o encontro, os dirigentes tiveram a oportunidade de conhecer pesquisas da área de Alimentos desenvolvidas por estudantes e professores do IFMS.

Em uma degustação, puderam experimentar copos comestíveis para café criados por estudantes do Campus Jardim, com apoio da Incubadora Mista e Social TecnoIF. Foram apresentadas a receita tradicional, produzida à base de manteiga e chocolate, e a versão fit feita com farinha de coco, açúcar mascavo, cacau e óleo de coco.

O Campus Coxim apresentou cupcakes feitos com frutos do cerrado. Os bolinhos têm em suas receitas polpas de pequi e de jenipapo, além de suco de seriguela. As frutas nativas possuem alto teor antioxidante.

Os dirigentes também tiveram a oportunidade de experimentar canapés feitos com besouro (Tenebrio molitor), grilo e barata, insetos com alto teor de proteína. A pesquisa também é desenvolvida pelo IFMS em Coxim.

O reitor do Instituto Federal do Piauí (IFPI), Paulo Henrique Gomes de Lima, aprovou as iguarias. “É algo inusitado, mas é a natureza que nos oferece possibilidades de variações de pratos. É algo que não se consome no dia a dia, mas que está à disposição. Achei saboroso e provaria novamente”, comentou.

O orientador da pesquisa, Ramon Santos de Minas, falou sobre a importância de os reitores conhecerem o estudo. “É importante desmistificarmos o uso de insetos na alimentação humana, até para que as pessoas saibam como essa matéria-prima é produzida e que essa pode ser uma alternativa para pequenos produtores de todo o país”, explicou.

Conselhos – Durante o encontro, iniciou-se a articulação entre o Conif e o Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed), que atualmente é presidido pela secretária de Educação de Mato Grosso do Sul, Maria Cecilia Motta.

A presidente do Consed reuniu-se, na sede do IFMS, com o diretor de Articulação e Expansão da Educação Profissional da Setec/MEC, Wilson Nobre, para as primeiras tratativas sobre a atuação conjunta.

Para o reitor do IFMS, Luiz Simão Staszczak, articular a atuação das redes federal e estadual é de extrema importância para a defesa de pautas da educação profissional e tecnológica.

“Ao articularmos as redes ganhamos força para, por exemplo, apresentar proposições alinhadas na reforma do ensino médio - no que tange ao quinto eixo, que trata do itinerário formativo -, e também nas propostas de mudanças na educação profissional em discussão no Conselho Nacional de Educação”, pontuou o reitor.

Durante o encontro, a secretária estadual de educação recebeu uma homenagem por ter feito parte da história do IFMS que, no final do ano passado, completou 10 anos de criação.

“Em 2008, quando eu era secretária de Educação de Campo Grande, o então prefeito me pediu que eu apoiasse a instalação do IFMS no município. Portanto, posso dizer que faço parte da história desta instituição que trouxe tantos avanços na educação profissional e tecnológica do nosso estado”, relembrou Maria Cecilia.

Fórum de Ensino – Paralelamente à reunião do Conif, foi realizada em Campo Grande a primeira reunião de 2019 do Fórum dos Dirigentes de Ensino (FDE), que reúne os pró-reitores da área na Rede Federal.

Entre os temas abordados o destaque foi a revisão da Resolução nº 6/2012, do Conselho Nacional de Educação (CNE), que traz mudanças na educação profissional e tecnológica no país.

Para a coordenadora do FDE e pró-reitora de Ensino do Instituto Federal do Acre (Ifac), Maria Lucilene Acácio, algumas alterações podem trazer impactos na oferta do ensino médio integrado pelas instituições da Rede Federal.

“Nossa maior defesa é continuar a oferta do ensino técnico integrado ao ensino médio e evoluir nesse modelo de formação humana e integral. Temos um grupo de trabalho constituído que irá se reunir para, a partir das reflexões propostas neste encontro, articular um texto que contemple de forma satisfatória a educação profissional", explicou.

Conif – É formado por 38 Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia, dois Centros Federais de Educação Tecnológica (Cefets) e o Colégio Pedro II.

O Conselho é responsável por dar suporte, orientar e respaldar a Rede Federal, tendo como atribuições discutir, propor e promover políticas de desenvolvimento da formação profissional e tecnológica, pesquisa e inovação.

Além de desenvolver estudos e projetos, por meio de congressos, conferências, seminários e encontros, o Conif incentiva o intercâmbio de informações e experiências na Rede Federal e com outras instituições nacionais e estrangeiras, e executa articulações com os diversos entes públicos e a sociedade civil organizada.