Mãe, a maior das profissões

Publicado em: 13/05/2019 às 14h47

Wilson Aquino

Mãe, a maior das profissões

Wilson Aquino*

Ser mãe é a mais nobre ação do homem. A mais bela de todas as artes e a maior de todas as profissões. O mundo não reconhece isso, mas a eficácia de uma comunidade pacífica e justa paira, em grande parte, no caráter, no trabalho interminável, cansativo e na fé de mães determinadas em exercer com dignidade a missão de gerar, amamentar, alimentar, educar e formar bons indivíduos para viver em retidão na sociedade.

Nesses últimos tempos em que o próprio tempo passa de maneira acelerada, trazendo enxurradas de invenções, tecnologias avançadas e mudanças de comportamentos e conceitos sobre as coisas, que provocam o bem e o mal ao mesmo tempo, o trabalho de mães inteligentes e conscientes nunca foi tão extremamente necessário.

Um amigo, Cristão, David O. Mckay escreveu: “A influência materna é a maior influência em potencial para o bem ou para o mal na vida humana. A imagem da mãe é a primeira que fica gravada na mente da criança. São os carinhos dela que primeiro despertam a sensação de segurança; são seus beijos que dão à criança as primeiras noções de afeto; é o seu desvelo e sua ternura que conferem à criança a primeira certeza de que existe amor no mundo”.

O lado positivo de ser mãe é esse, quando ela dá o melhor de si para a formação da criança. Entretanto, lamentavelmente, nem todas agem assim. Muitas negligenciam nesses cuidados principalmente nesse período, nos primeiros anos de vida, em que a criança mais precisa e quando o caráter do indivíduo se forma.

Não é uma regra, mas grande parte dos homens e mulheres atrás das grades, em débito com a justiça pelos mais variados tipos de crimes cometidos, se deve ao fracasso da família, ao fracasso dos pais, ao fracasso da mãe.

Outro grande homem, Osmar Terra, ex-ministro de Desenvolvimento Social e Agrário do Governo Temer e atual ministro de Cidadania e Ação Social, de Bolsonaro, percorreu todo Brasil (até 2017) divulgando a pais, educadores e até para profissionais da área de saúde, mental principalmente, sobre resultados de recentes estudos científicos que comprovam que a formação do indivíduo (segurança, sensibilidade, caráter, etc) se dá até os primeiros três anos de vida e não até os 7, 8 como se pensava. Ele correu o Brasil porque entendeu a importância principalmente dos pais saberem disso para poderem exercer com mais sabedoria e determinação na educação e formação dos futuros cidadãos do País.

As mães têm o poder de plantar as sementes na infância que determinarão em grande parte as colheitas da vida na fase adulta. David O. Mckay também disse que: “A mãe que instila na alma de seus filhos o respeito às pessoas e o amor ao pai e à mãe presta um enorme serviço à igreja e à humanidade como um todo”.

Quando Mckay cita a igreja é porque a principal missão dela é conduzir o homem à salvação espiritual para que ele possa ser digno de voltar a viver na presença de Deus e de Jesus Cristo. E como parte desse Plano, que dá esperança de vida eterna à humanidade, as mães exercem o sagrado papel de prover corpos mortais para os filhos espirituais do Senhor passarem pelas provações aqui na Terra e se sobressaírem a eles com dignidade.

Deus, na sua infinita sabedoria, desde sempre nos ensinou isso por intermédio das Escrituras Sagradas, onde se lê claramente: “Educa a criança no caminho em que deve andar; e até quando envelhecer não se desviará dele” (Prov. 22:6)

As  Sagradas Escrituras também estão repletas de passagem que enaltecem poder e importância das mães: Honra teu pai e tua mãe (Ex. 20:12); Não deixes a doutrina de tua mãe (Prov. 1:8); O homem insensato despreza a sua mãe (Prov. 15:20); Não desprezes a tua mãe, quando vier a envelhecer (Prov. 23:22); Levantem-se seus filhos e chamam-na bem-aventurada, e seu marido a louva (Prov. 31:28).

 

*Jornalista, Professor e Membro da Igreja de Jesus Cristo

wilsonaquino2012@gmail.com