2º Prêmio de Jornalismo do TJMS abordará a masculinidade positiva

Publicado em: 24/08/2019 às 07h50

Imprensa

A exemplo de 2018, o Tribunal de Justiça lança a 2ª edição do Prêmio de Jornalismo. A ação faz parte das atividades da Semana da Justiça pela Paz em Casa, embora o edital do certame seja publicado em setembro.

Desta vez, o tema será Masculinidades Positivas no Enfrentamento à Desigualdade de Gênero, com prêmios nas categorias Telejornalismo, Jornalismo Impresso, Jornalismo On-line, Radiojornalismo, Fotojornalismo e Universitário. Poderão participar profissionais e acadêmicos da área de Comunicação Social, com trabalhos inéditos e publicados de 1º de janeiro a 31 de novembro de 2019.

Uma comissão será responsável por dirimir dúvidas e outras questões do certame, podendo, inclusive, decidir pela não outorga do prêmio a uma ou mais categorias se concluir que os trabalhos concorrentes não cumprem os requisitos do concurso.

Os trabalhos inscritos serão avaliados pela adequação ao tema proposto, linguagem, coerência editorial, originalidade, utilidade social e fontes consultadas. Os vencedores receberão prêmio em dinheiro.

Entre os objetivos do certame estão a produção de conteúdo jornalístico que contribua para a prevenção, o combate e a eliminação de todas as formas de manifestação de violência contra as mulheres; proteção, valorização e promoção dos direitos das mulheres; além de promover reflexões para a desconstrução da cultura de violência contra as mulheres.

Espera-se com o certame incentivar discussões e reflexões sobre estereótipos, masculinidades, leis, linguagem, mídia e objetificação da mulher, além de estimular a produção de conteúdo jornalístico que contribua para a politização da sociedade, no que se refere à construção da igualdade de gênero.

Importante lembrar que o prêmio valoriza as iniciativas no jornalismo sul-mato-grossense que contribuam para o entendimento da violência de gênero como um problema estrutural das desigualdades sociais e econômicas.

Para a juíza Jacqueline Machado, que responde pela Coordenadoria da Mulher e pela primeira Vara de Medidas Protetivas do país, a produção de conteúdo jornalístico contribui para a discussão, reflexões e combate a todo tipo de violência contra a mulher.

O diretor da Secretaria de Comunicação do Tribunal de Justiça, Carlos Kuntzel, destacou que a quantidade e qualidade dos trabalhos inscritos na primeira edição foram significativos para a popularização do debate em torno das questões da violência doméstica. Nesta edição se espera o mesmo sucesso e desta vez vem o desafio de mostrar bons exemplos. “À medida que existirem mais homens e mulheres conscientes de seus direitos e deveres nas relações sociais, haverá uma melhora nas atitudes, contribuindo para diminuir a violência doméstica e familiar”.

A data da solenidade de premiação, os valores dos prêmios de cada categoria e demais informações estarão no edital, que será publicado do Diário da Justiça.