Juiz de Três Lagoas ouve testemunhas de caso envolvendo facção criminosa

Publicado em: 19/02/2020 às 15h00

Tjms/Imprensa

Foi realizada na comarca de Três Lagoas, na tarde desta terça-feira (18), pelo juiz Rodrigo Pedrini Marcos, audiência para a oitiva das testemunhas de acusação e de defesa em um processo que envolve crimes de organização criminosa, receptação, sequestro e cárcere privado, tráfico de drogas e condutas afins.

A audiência ocorreu no plenário do Tribunal do Júri, em razão da quantidade de acusados presos e principalmente por questões de segurança. No total, foram sete réus – dentes estes duas mulheres – e 14 testemunhas. Acusação e defesa concordaram na oitiva das testemunhas de defesa, além do interrogatório de um dos acusados.

Um dos réus foi retirado do plenário do Júri, usado como sala de audiência, em razão de seu comportamento incompatível com o trabalho realizado pelo juiz.

De acordo com o processo, de competência do Tribunal do Júri por se tratar de tentativa de homicídio qualificado, em abril de 2019, na Rua Rui José da Costa, nº 744, bairro Paranapungá, em Três Lagoas, acompanhados de dois adolescentes infratores, por motivo torpe e recurso que dificultou a defesa da vítima, os réus tentaram matar um homem e só não conseguiram consumar o crime porque a vítima foi salva por policiais militares, momentos antes de ser executada.

Segundo um dos policiais que participou da ação, com informações do serviço de inteligência, a PM investigava um veículo Chevette, com vários ocupantes que teriam sequestrado um homem no residencial Novo Oeste para submetê-lo ao tribunal do crime, por integrantes da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC). O motivo seria o envolvimento em uma briga com um integrante da facção, agredido e encaminhado ao hospital.
 
A vítima foi colocada no porta-malas do Chevete e levado até o bairro Paranapungá, onde seria julgada, mas a PM localizou o veículo e as viaturas fizeram cerco por todo o quarteirão. Resgatada, a vítima identificou os homens que o colocaram no porta-malas, a mulher dona do carro e o motorista, além de relatar que o grupo aguardava a chegada de mais duas pessoas para decidir como executar o crime. O integrante da facção envolvido na briga comercializava drogas.

Um dos acusados será ouvido por carta precatória na comarca de Cáceres (MT) e, no final da audiência, o juiz designou o dia 23 de abril, com início às 13h30, para interrogatório dos acusados, ressaltando que aqueles que estiverem custodiados fora da comarca de Três Lagoas serão interrogados por videoconferência.