Dirigentes do turismo nacional terão mais influência nas decisões do setor

Publicado em: 26/02/2020 às 17h10

Fundação de Turismo de MS

Contribuição direta dos órgãos estaduais de turismo nas estratégias para o desenvolvimento do turismo nacional. Essa foi uma das principais pautas de reunião entre Fórum Nacional dos Secretários e Dirigentes Estaduais de Turismo (Fornatur), Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo (Embratur) e Ministério do Turismo (MTur) nessa semana, em Brasília (DF).

O diretor-presidente da Fundação de Turismo de Mato Grosso do Sul, Bruno Wendling, que também preside o Fornatur, apresentou ao presidente da Embratur, Gilson Machado Neto, um documento com sugestões para alinhamento das linhas estratégicas para Promoção Internacional a serem traçadas pela Agência nos próximos anos.

Membros do Fornatur entregam documento de proposições ao presidente da Embratur

Assuntos como a comunicação institucional estruturada e continua com as Unidades da Federação, a qualificação das equipes de mercado, estudo de mercado, inteligência competitiva, definição do posicionamento internacional do Brasil, ações promocionais e reformulação dos estandes  feiras e eventos, descentralização dos recursos financeiros para apoio as ações de promoção internacional dos estados e macrorregiões e acesso aéreo foram algumas das sugestões debatidas e corroboradas pela equipe e pelo presidente da Embratur.

“O presidente da Embratur se comprometeu que as propostas do Fornatur serão consideradas e que a nossa participação será cada vez mais efetiva, inclusive com participação de todos nos grupos de trabalho criados pelo órgão. Os destinos influenciarão cada vez mais nas ações para o desenvolvimento do turismo brasileiro e isso é uma mudança de postura do próprio Fórum, que está mais propositivo ao invés de apenas fazer solicitações ao Governo Federal”, ressalta Bruno Wendling.

Desenvolvimento e Competitividade

Na quarta-feira (19), em reunião foi com secretário Nacional de Desenvolvimento e Competitividade do Turismo do MTur, William França Cordeiro, foi apresentada resolução que inclui a política de atração de investimentos privados ao setor entre novas iniciativas previstas no Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), que organiza a concessão de ativos como aeroportos, portos e rodovias.

O trabalho vai envolver estudos para a implantação de empreendimentos e o aproveitamento de bens culturais e naturais, a partir da busca por alternativas regulatórias que promovam segurança jurídica e prioridade aos negócios. As novas iniciativas incluídas no PPI abrangem ainda a concessão de parques nacionais, entre outras ações.

Entraram também na pauta da reunião a proposta de um novo modelo de qualificação da oferta e simplificação do Cadastur, proposta de financiamento que dará condições especiais para o desenvolvimento do setor do turismo através da Caixa Econômica Federal, as garantias dos investimentos do Programa Investe Turismo e uma reformulação na participação do Ministério do Turismo e do apoio dado aos destinos nas feiras e eventos nacionais. “O Ministério entende que as estratégias estão defasadas e isso será revisto. Marcamos para o mês de março oficinas de trabalho com equipes técnicas das Unidades Federadas, Ministério do Turismo e Embratur para debater e criar esses novos modelos”, finaliza Wendling.