ATÉ NA VITÓRIA O INÍCIO É SOFRIMENTO - Benê Cantelli

Publicado em: 10/02/2018 às 18h37

Do Autor

Foto: Foto: Divulgação/Arquivo

Benê Cantelli. Professor e Campista

Terminando uma palestra, encerrei dizendo que o vitorioso em qualquer atividade, principalmente esportiva, se dá pelo sofrimento, até  na subida ao Podium. Apenas não sente, quem por estar com as mãos na taça, já está  com sua vitória escrita. Falta apenas, provar.

Incrível como a experiência do sofrimento é o caminho da vitória e do sucesso. A própria Bíblia, norma de conduta dos cristãos, se lê no primeiro capítulo da Carta de São Tiago: “Tendes por grande alegria, o passardes, por muitas tribulações...”.

"Considerai que é suma alegria, meus irmãos, quando passais por diversas provações.  3. ^Sabendo que a prova da vossa fé produz a paciência. 4. Mas, é preciso que a paciência efetue a sua obra, a fim de serdes perfeitos e íntegros, sem fraqueza alguma. 5. Se alguém de vós necessita de sabedoria, peça-a a Deus - que a todos dá liberalmente, com simplicidade e sem recriminação - e ser-lhe-á dada."

Não poucas vezes ponho-me a refletir: Será que sofremos em razão de merecidos castigos? Será que o advento de problemas em nossas vidas é a resposta devida como castigo?

De repente, não mais que de repente, lembro-me da mensagem, que Deus não castiga ninguém. O que sofremos é restolho ou consequência daquilo que fizemos.

Por isso a misericórdia divina está de prontidão o tempo todo. Em verdade, além de não nos castigar, está sempre pronto para nos perdoar. Esse é o nosso Deus.

Sem embargo, penso que a vida nos entrega mais dissabores do que benesses. Mais “coisas ruins” do que “coisas boas”. Aliás, já ouvi, também, e não poucas vezes, a expressão: “Quanto mais eu rezo, mais assombrações, aparecem”.

Não deixa de ser muito esquisito, mas é comum ouvir essa frase, como um resmungo ou reclamação endereçada a Deus, dando a entender, que Ele é o culpado.

Não posso me omitir ou escudar-me. Tive muitas vezes esse pensamento, e sempre colocando outras pessoas em evidência ou em paralelo, com Deus, mostrando o que faço e o que outros deixam de fazer. Lego engano e crasso pensamento, até porque, não sou juiz de ninguém e o que interessa a Deus, com relação ao outro, é apenas aquilo que devo fazer de benfazejo e caridade. Esse deve ser meu único testemunho.

Vou referir-me, neste contexto, ao que vejo em pastores de meus irmãos evangélicos. Fazem apologia da vitória, do enriquecimento, das curas milagrosas e, em raríssimas ocasiões fazem alusão à cura interior e o papel importante do sofrimento na formação do caráter cristão. São medíocres quando afirmam que todo sofrimento, Jesus já carregou na cruz e deles não somos partícipes.  Quando colocados em xeque, mudam a versão dizendo que Jesus, os Profetas, Apóstolos e outros, sofreram apenas para nos dar exemplo.

E do livro de Jó que colhemos este conhecimento: "Pois o mal não sai do pó, e o sofrimento não brota da terra, é o homem quem causa o sofrimento como as faíscas voam no ar. (Jó 5, 7)".
-     O fato, portanto, sobre o qual não há diversidade é nem contraditório é que: O sofrimento nos aproxima de Deus, como o perigo coloca a criança mais rápido sobre os braços da mãe.

Entendo, enfim, que se estou sofrendo é um sinal de que Deus quer nos ouvir ou falar conosco. É como a febre em nosso corpo, ela não é outra coisa a não ser um aviso de que algo em nosso corpo, não vai bem. Creio que, ao entender assim, nossa relação com Deus será muito melhor.

É tudo o que precisamos para sermos FELIZES.

Bom dia. Melhores tempos.

Professor e Campista

                                                            bncantelli1@gmail.com